terça-feira, 21 de novembro de 2017

Girls in Trouble e a NOVA releitura dos Tokusatsus

Girls in Trouble Episode 0

Sim, e hoje vamos de Tokusatsu, pra variar um pouco. E SIM de novo, eu adoro Tokusatsu. Cresci vendo Tokusatsu na finada Rede Manchete e na Band também, eu ia pro Sana só pra ver os Tokusatsus (e outros programas) que eu não via desde criança e frescar com os Cospobres..

... depois se transformaram (tanto no figurino quanto no comportamento, entenda como quiser) e perderam a graça. Aliás, eu acho muito difícil que eu, algum dia da minha vida, deixe de gostar disso.

Os Tokusatsu já tem uma fórmula própria pra criar suas histórias, aliás, todo filme de Herói tem sua receita de bolo (muitas vezes baseada na Jornada do Herói) e há quem ache que os filmes do Universo Marvel tem muita coisa a ensinar, pois essa coisa de Universo Estendido e Compartilhado é algo que os japas deveriam praticar... e SIM, você está coberto da mais purulenta Razão e é aí que Girls in Trouble aparece.

Talvez seja a única vez na sua vida em que você tenha razão, então aproveite. Aliás, talves eu acabe te dando um ou outro Spoiler, então se você não viu Girls in Trouble (Treta das Tias, em questionável tradução deste que vos fala), cuidado na Leitura .

O Hipe de Girls in Trouble


Até quem não acompanha o Mundo dos Tokusatsu viu o tamanho do BOOM que foi o anúncio de Girls in Trouble (e do Especial de Uchuu Keiji Gavan vs. Tokusou Sentai Dekaranger). A proposta da película, ao que parece , é mais do mesmo: Heróis coloridos enfrentando monstros borachudos que soltam faiscas ao toque de armas de brinquedo entre um e outro efeito especial de procedência questionável.

Só que não! Girls in Trouble - Episode 0 já mostra seu diferencial logo no título.

Tokusatsu Girls in Trouble Episode 0 Poster
O "Episode 0" significa que trata-se de um Prólogo, um Episódio de abertura para Uchuu Keiji Gavan VS Tokusou Sentai Dekaranger, mas não apenas isso, mas toda a construção do Filme traz algo completamente novo... pelo menos eu não lembro de nada assim nos demais filmes desse gêner, então, vamos lá.

Casa das 7 Mulheres


Excetuando produções voltadas ao público feminino, o Papel da Mulherada em produções Orientais ou Ocidentais se resume em Ajudantes ou algo parecido. Aqui, temos um grupo de Mulheres Poderosas, independentes e Lindas.

A Mayu Kawamoto ta muito linda até quando vira capeta.

A Participação das Mulheres na trama é algo incrivelmente bem construído. Não se trata de público alvo. A necessidade de um grupo apenas de Mulheres é justificado na trama, o que exige um treinamento (e SIM, elas sofrem pra porra) visando atender uma demanda de forma sensata e dentro de um Contexto muito atual.

Afinal, Mulheres podem ser tão (ou mais) competentes do que os Homens?!

Sim, elas liquidam a fatura com maestria. Falando nisso...

As lutas, a trama, as pernas de fora...


A Trama da história é bem densa e brinca com clichês. A gente acaba inclinado a achar que o Vilão é  aquele Papagaio (por causa da luminosidade sombria e do som que ele faz que parece uma risada, mas é um "cacoete" de nervosismo, pois ele acompanha o treinamento das Garotas e elas não avançam). O clima tenso de resgate em um labirinto para encontrar a Herbaira e a aparição da Benikiba "made in Naruto" deixam qualquer fã na espectativa.



Na hora da treta, a trama mostra que nem todos os Super Heróis precisam de sua Transformação pra vencer um desafio, a ideia de que Trabalho em Equipe resolve. Claro, essa equipe precisa de treinamento e inteligência, num belo trampo de Detetive mesmo. As garotas não apenas trocam tapas com os monstrengos malvados, mas usam a cachola pra resolver os problemas.

Falando nisso, as lutas são muito boas (reza a lenda que Koichi Sakamoto é sinônimo de coreografias de qualidade). Quando a chibata come de esmola, as Meninas quebram tudo em ótimas coreografias, nada de muito enfeitado (duplo twist carpado com firula mais ou menos).

Quando é pra bater, Elas batem com força e os Vilões entortam com a pancada.

Girls in Trouble atende bem a nova proposta de remodelar os Tokusatsu dentro dessa tendência de Universo Compartilhado. Personagens de franquias diferentes (integrantes do Shaider, as meninas do Dekarangers, além do grupo de apoio) reunidas em uma trama pouco convencional em Tokusatsu, com sangue e um tantinho assim de erotismo... ou vai dizer que não notou os closes nas pernas e outras cositas mas?!

Não que eu esteja reclamando, não, longe disso. 

Conclusão sobre Girls in Trouble

Girls in Trouble é um incrível prólogo de um incrível Filmão da Porra! As lutas são boas, a trama prende o espectador, as fantasias não tomam tanto do Filme (o que deixa a coisa toda muito mais sóbria e dificilmente será levada como "programa de criança") e expõe as Mulheres de forma bem diferente do convencional, como Personagens com poder de decisão na História.

Aliás, já tivemos algumas alterações nas Leituras de produções Japas como o lançamento do Filme do Stinger (Kyurangers), a primeira vez que um personagem (que não é o Lider) tem um filme. Girls in Trouble mostra uma nova forma de apresentar Tokusatsu e que promete ser uma Regra daqui pra frente. Recomendado pelo Bazuca.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Dragon Ball Super homenageia dubladora original de Bulma

Hiromi Tsuru Dragon Ball Super Homenagem

O Episódio 116 de Dragon Ball Super fez uma homenagem à Hiromi Tsuru, dubladora original da personagem Bulma, falecida na última semana. A notícia pegou todo mundo de surpresa. Hiromi tinha 57 anos e foi encontrada em seu carro, inconsciente, sem sinais de violência. A Polícia trabalha com a hipótese de que Ela teve algum tipo de mal súbito.

Hiromi Tsuru, que fez a voz da personagem Bulma de Dragon Ball por muitos anos, morreu. De crianças a adultos, Tsuru deu para muitas pessoas coragem e alegria e, do fundo dos nossos corações, oramos para que ela descanse em paz.

A dubladora Hiromi Tsuru emprestou sua voz a uma cacetada de Personagens (entre animes e jogos), mas seu principal trabalho foi a voz da Bulma. Aqui vai uma listinha (Wikipédia) dos trabalhos de Hiromi.
  • Akihabara Dennou Gumi (Hinako Hanakoganei, Petit Angel)
  • Soreike! Anpanman (Dokin-chan)
  • Bosco Adventure (Unicorn)
  • Dragon Ball (Bulma and Kid Piccolo Jr.)
  • Dragon Ball GT (Bulma, Bra (filha de Bulma e Vegeta))
  • Dragon Ball Z (Bebê Trunks, Bra, and Bulma)
  • Dragon Ball Kai (Bulma)
  • Dragon Ball Super (Bulma)
  • Ghost Sweeper Mikami (Reiko Mikami)
  • Gravitation (Mika Seguchi)
  • Hikari no Densetsu (Miyako Kamijou)
  • Kamikaze Kaito Jeanne (Jeanne D'Arc)
  • Kimagure Orange Road (Madoka Ayukawa)
  • Kinnikuman (Natsuko)
  • Love Hina (Mrs. Maehara)
  • Maison Ikkoku (Asuna Kujou)
  • Miyuki (Miyuki Kashima)
  • Ranma ½ (Ukyo Kuonji Kaori Daikoku)
  • One Piece (Shakuyaku)
  • Saint Seiya (Chameleon June,Thetis de sereia )
  • Samurai Champloo (Shino/Kohaku)
  • Stop! Hibari-kun (Rie Kawai)
  • Silent Möbius (Kiddy Phenil)
  • Super Dimension Fortress Macross (Kim Kabirov)
  • Trigun (Meryl Strife)
  • Touch (Sachiko Nishio)
  • Yu-Gi-Oh! Duel Monsters GX (Yubel)


Certamente sentiremos muitas saudades e fica aqui nosso respeito e mais sinceros Sentimentos de gratidão e que ela descanse em Paz, além de nossa pequena (mas sincera) homenagem.

Edmilson Filho (Cine Holliúdy) faz dublagens satíricas do Game of Thrones

 Edmilson Filho Cine Holliúdy Game of Thrones
Fazer uma dublagem própria de cenas de Filmes famosos ou ter seu próprio canal no Youtube é algo que sempre me deixou interessado (tipo Batman - Feira da Fruta ou mesmo o canal dos Irmãos Piologo). Na verdade, quando eu era criança (há muitos carnavais atrás), eu  e meu irmão do meio tinhamos nosso próprio Programa.

Para quem não sabe o que xavascas é um Irmão do Meio, eu tenho 2 irmãos e eu sou o mais novo. O do meio  nem é o mais velho, nem o mais novo.

Nosso "Programa" envolvia, basicamente, releituras sobre nosso cotidiano com Vizinhos, Professores, Fofocas que circulavam no Bairro. Tudo com imitações feitas por nós, gravando tudo em fitas K-7 no Microsystem da minha irmã mais velha. Renderam muitas risadas e, acho, umas 3 fitas cheias até a tampa, escutadas até a exaustão.

Sim, eram bons tempos e se você nunca fez isso só posso sentir pena de você. Mas deixemos as lágrimas nostáugicas de lado pra tratar da postagem.

Edmilson Filho e Gay of Thrones

Um trabalho nessa linha é o que Edmilson Filho (Cine Holliúdy que, aliás, creio que sou o único cearense que ainda não viu o filme) fez com o seriado Game Of Thrones. Ele faz montagens com cenas variadas da série (até de temporadas diferentes) e faz uma redublagem usando o Cearenses para correr solto nas Crônicas do Gelo e do Fogo.

A brincadeira se chama "Gay of Thrones" e fica um vídeo aí pra você a maior putaria.



De acordo com o mesmo em entrevista ao Tribuna do Ceará, tudo começou de forma descompromissada, como passatempo, mas, devido ao sucesso, pode se tornar algo maior. Ainda, ele também mantém uma série de vídeos onde ensina inglês ao seu "estilo". Para quem não sabe, ele mora fora do país.

Tudo disponível no Instagran do cara.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Shining Resonance Refrain ganha seu primeiro trailer

Shining Resonance Refrain trailer
Quando eu comecei a me aventurar pelos RPGs em video games, o primeiro Título que cruzou o meu caminho (e eu agradeco a Deus todos os dias por isso) foi Shining Force, do Mega Drive. Quando o Shining Force foi remasterizado pro GBA, teve muitas melhorias no gráfico, claro e na história.

O mesmo ocorre com Shining Resonance, que saiu pro PS3 em 2014 e ganha um remake pro Ps4 chamado Shining Resonance Refrain. Veja o trailer.


Shining Resonance Refrain é um JRPG lançado pela SEGA em 2014 e tanto as batalhas quanto os acessórios dos Personagens são voltados para a Música... aliás, o nome do game já mostra bem isso.  Outra coisa que promete mudar do lançamento de 2014 pro novo é o lançamento do jogo no Ocidente (coisa que não ocorreu em 2014), isso foi anunciado pelo Produtor (Makoto Suzuki) e pelo designer dos Personagens do jogo (Tony Taka)


Shining Resonance Refrain tem a data de lançamento para 29 de Março de 2018 (PlayStation 4) lá no Japão.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Dragon Ball Super e mudança nas regras do Torneio do Poder


Sim, Senhor, as mulheres estão com Tudo em Dragon Ball Super. O  Torneio do Poder já passa da metade e, novamente, surpresas acontecem e podem modificar completamente os rumos dos combates. E Hoje falaremos do episódio 115 de Dragon Ball Super que, além da Kefla (Fusão da Kale com a Caulifla do Universo 6), contou com alterações nas regras do Torneio.

Torneio do Poder agora permitirá Fusões

Muita gente está torcendo o nariz para as novas regras, que Fusão não pode e que a Kefla (ou Kefura, tanto faz) chutar a bunda do Super Sayajin Blue é incoerência e blá blá blá.

Dragon Ball Super Torneio do Poder Daishinkan


Com efeito, ERA proibido, mas a gente precisa lembrar que, se quebrar as regras fosse o problema, o Universo 7 já teria perdido por causa do Mestre Kame que usou o Mafuba e selou um indivíduo no recipiente. Além disso, os Zenos adoraram a Fusão (e ver o Goku se fudendo no processo), então...
Dragon Ball Super Torneio do Poder Zeno É Divertido Pode
É divertido, então Pode!
Manda quem pode, obedece quem tem juízo. Bola pra frente.

Goku vs Kefura

Alguns universos já manifestaram o desinteressse por uma fusão, mas agora é a luta de Goku e as Sayajins do Universo 6 que só melhora (ou piora, pro lado do Goku). As garotas usaram os brincos Potara e, disso, surgiu a guerreira Kefla (pronuncia Kefura), que está dando trabalho até pro Blue, como vimos na sinopse do episódio divulgada aqui.
Dragon Ball Super Torneio do Poder Kefura Super Sayjin

Mesmo com o Super Sayjin Blue, Goku tem problemas com Kefura Super Sayajin, o que o faz ativar o Ultra Instinto (ou Instinto Superior). Aí a coisa fica complicada pro lado do Universo 6 e, caso tenha notado, nas cenas do próximo episódio, tudo indica que o poder do Ultra Instinto fará Jiren sair de seu estado de meditação.