segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Mangá de Dragon Ball Super revela o Deus da Destruição mais Forte

Dragon Ball Super mangá 28 Deuses da Destruição Goku Daishinkan

Poisé, pouca gente acompanha o mangá do Dragon Ball Super (autoria de Toyotaro) e isso é mó paia. Já comentei isso uma caralhada de vezes, mas nunca é demais lembrar que o Anime e o Mangá de Dragon Ball Super tem suas diferenças (o Vegeta até se tornou Super Sayajin God no mangá), o que parece ser uma proposta para entender como funcionam as Linhas de Tempo.

Até já discutimos isso aqui no blog, mas Poké-bola pra frente.

Atualmente estamos no Capítulo 28 do mangá de Dragon Ball Super, onde estamos encerrando a treta com o Black e iniciando os preparativos pro Torneio do Poder (Saga Universe Survivor) e aquela Exibição de Lutas para o novo Zen-Oh (o que o Goku trouxe do futuro) terá uma diferença em relação ao Anime (claro).

Entre outras coisas muito interessantes (tipo ver o Vermont do Universo 11 usar um Hakai em uma "panicat" aleatória), temos uma batalha campal entre os Deuses da Destruição (ou Hakaishin, no original).

Deuses da Destruição no Dragon Ball Super


No final do Torneio entre o Sexto e o Sétimo Universo, Zen-Oh prometeu ao Goku um Torneio unindo todos os 12 Universos. No anime, depois de confirmado a vontade de Zen-Oh para fazer o Torneio, Daishinkan tem a ideia de criar a Arena na Zona do Vazio e botar os Deuses da Destruição de menor porte para testar a resistência do campo de batalha.

Para tanto, Daishinkan mostra um pouco de seu Poder, transportando TODOS OS DEUSES E SEUS ANJOS! No anime, temos esta luta com os Hakaishins mais fracos.

Rola uma treta dos diabos lá: uma animação muito boa, apesar dos ataques genéricos.

Mas Qual é o Deus da Destruição mais caceteiro de Dragon Ball Super?!

Tudo muito legal, mas o mangá raramente caminha pelo mesmo campo do Anime, apesar de algumas sintonias. O atrito entre os Deuses, a intimidade exagerada do Goku com os Zen-Ohs, a irritação que isso gera nos demais Deuses, além da aniquilação do Universo derrotado... enfim, isso tudo a gente viu no Anime.



O que a gente não viu foi um arranca rabo entre os Deuses dos 12 Universos de uma vez. Até fizeram essa animação show de bola, mas as cenas do mangá estão aí. Aliás, você já conhece todos os 12 Deuses da Destruição?!

Em um dado momento, já que todos os Deuses estão indignados com Bills e o Universo 07, todos resolvem atacá-lo de uma vez e, PASMEM, o discípulo de Whis peitou todos de uma vez. E não só isso, com uma certa tranquilidade, derrota Mosco do universo 3 (o robô) e lança uma esfera de Ki genérica contra diversos deuses, fazendo grande estrago.

Pelas imagens, vemos Bills enfrentar coisa de 6 Hakaishins ao mesmo tempo com uma boa dose de tranquilidade: Sidra do Universo 9 (o Elfo da Terra Média), Vermont do Universo 11 (o palhaço), Gene do Universo 12 (o bicho estranho que parece um peixe), Arak do Universo 5 (que parece uma mosca, sei lá) e Chapma do Universo 6 (irmão do Bills), além do Mosco do Universo 3 derrotado antes de Bills atacar com a esfera de Ki...

... que foi bloqueada por Sidra (que usou uma técnica similar a do Andróide 17). Porém, irremediavelmente, isso nos leva a uma conclusão minimamente lógica.

Bills é o mais poderoso Deus da Destruição?!

O Capítulo 28 de Dragon Ball Super sugere que Ele Bills seja o mais poderoso, Sim. Muito mimimi de um lado e muita bebedeira para comemorar do outro. Se ele é mais forte do que os demais, realmente, não sei, mas ele lutou muito bem contra tantos outros Hakaishins e isso já o coloca em destaque.

Mas, porém, contudo, todavia...

Velmont ainda é um Mistério

O Deus Velmont (ou Belmont) do Universo 11 é o único que, durante o ataque em massa contra Bills, consegue atingir diretamente o Deus do Universo 7. Sem falar que ele é o primeiro a mudar o foco da batalha (que antes era atacar somente Bills), nocauteando Sidra.

O Mangá de Dragon Ball Super ainda reserva muitas diferenças e, muitas vezes, acaba mais interessante do que o próprio Anime. Recomendo que você acompanhe o mangá pelas traduções publicadas no Kami Sama Explorer, até a próxima.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Fullmetal Alchemist ganha novo poster da adaptação em live-action!

 
Lembra quando falamos aqui do trailer de uma adaptação para as Telonas em Live Action de Fullmetal Alchemist?! Poisé, a empreitada ganhou Poster Super Ultra Hyper Mega Ultimate Very Fuckying Cool Roxeda pivete.

Está bem fiel ao anime e ao mangá, pelo menos no visual. Mas falando nisso...

O QUE É FULLMETAL ALCHEMIST?!

Acho que não custa lembrar, trata-se de uma série de mangás tipo Shonen (público jovem masculino) e conta a história dos irmãos Edward Alphonse Elric, que se fodem ao tentar uma técnica altamente complicada (um morre e  o outro fica mutilado).

O mangaká é Hiromu Arakawa com pulicações na revista mensal japonesa Monthly Shōnen Gangan, aqui no Brasil, Fullmetal Alchemist é publicado pela amada idolatrada salve salve Editora JBC. E Não, não estou fazendo jabá... aliás, se quiserem me presentear com os 54 Volumes publicados, eu faço uma bela propaganda.

Sim, eu sei. Sou um prostituto de merchandising duvidoso, mas voltemos ao Post.

LIVE ACTION DE FULLMETAL ALCHEMIST GANHA POSTER

Fullmetal Alchemist ganha novo poster da adaptação em live-action

Agora que você já sabe o que xavascas é Fullmetal Alchemist, podemos mostrar o Poster, afinal, temos agora uma caralhada de personagens que compõem a trama, todos juntos e misturados e tal. Pelo que me consta, a trama vai adaptar a mesma história do Mangá (que virou Anime) e, ainda, o longa será dividido em suas partes.

 Como eu disse antes, o figurino está de encher o olhos e as adaptações japas costumam atender bem ao quesito Fidelidade com a obra original (se isso é bom ou ruim, entendam como quiserem). Mas há muito mais coisa em jogo do que o simples Hipe sobre uma adaptação...

O LIVE ACTION DE FULLMETAL VAI PRESTAR?

Difícil prever é.

Depois de todo o burburinho causado pela frustração de uma legião de fãs de Death Note sobre a adaptação da Netflix, muita gente vaga errante pela Internet chorando todas as pitangas. Ainda não falei sobre isso no blog, pois não acompanho as aventuras de Light e seu caderno dos Infernos. Mas penso que, da mesma forma que me parece acertada a adaptação de Blade of the Immortal, não precisaremos nos preocupar (tanto) com isso.

Então, deixem a adaptação chegar pra começar o Ódio. Isso vale, também, pra adaptação de Saint Seiya (cujo nome será Knights of the Zodiac - Saint Seiya) já anunciada pela Netflix.

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Blade – A Lâmina do Imortal Live Action tem novo vídeo "Quem é Manji"

Blade of the Immortal Live Action

É, eu sei, o trailer de Blade of the Immortal já saiu há alguns dias, mas eu REALMENTE não tive como postar mais cedo. Muita correria desse lado da Internet, mas não esqueci de vocês. Além do mais, você já ficou sabendo de que o mangá Blade of the Immortal ganharia um Live Action aqui no Café com Pipoca.

Sim, me agradeça depois.

Who is Manji?!


Pelo que me consta, já tinha um Trailer anterior, mas este lança o questionamento sobre quem seria Manji (um Ronin que tem um verme que o mantém imortal, o protagonista retalhador de bundas do Japão feudal interpretado por Takuya Kimura). O video também tem uma cena de luta, fatiando diversos inimigos como se sua vida dependesse disso... o que, na verdade, o é.

A música Live to Die Another Day ~Sonzai Shōmei~

Ainda, temos a trilha sonora de “Live to Die Another Day ~Sonzai Shōmei~”, de Miyavi. Basicamente, a tradução da música é “Viver para morrer outro dia – Prova de existência”. O que tem tudo a ver com a história do cara, diga-se de passagem.

Alguns dados sobre o Live Action: Para o Elenco, teremos Takuya Kimura como Manji, Hana Sugisaki como Rin Asano, Souta Fukushi como Kagehisa Anotsu, Hayato Ichihara como Shira, Erika Toda como Makie Otono-Tachibana, Kazuki Kitamura como Sabato Kuroi, Chiaki Kuriyama como Hyakurin, Shinnosuke Mitsushima como Taito Magatsu, Ichikawa Ebizou como Eiku Shizuma, Min Tanaka como Kagimura Habaki e Tsutomu Yamazaki como Kensui Ibane.


Poisé, filmes de temática tipo Japão Feudal, Samurai, essas coisas, pra mim o filme deu um belo acerto quando optou por essa pegada meio "retrô" (pelo menos foi a impressão que eu tive). Pra finalizar, o Live Action do Blade of the Immortal será dirigido por Takashi Miike, que também comandou adaptações como Phoenix Wright: Ace Attorney e Yatterman.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Super Nintendo - Um Marco nos Games e na vida dos Fãs

Poisé, minha gente, hoje não trataremos das ultimas novidades dos animes, seriados e coisas do gênero. Hoje falaremos de um dos Consoles mais marcantes de uma geração e que, ainda hoje, promove euforia por onde ele passa.

O Super Nintendo.

Por meio dele, conhecemos Games que ainda hoje são sinônimos de Sucesso Inquestionável (Street Fighter, Super Mário, The Legend of Zelda, Rockman X e isso só pra dizer o básico) além de ser um dos protagonistas na disputa por cada Fã de video games, na Era de Ouro dos Games, visando o Topo do Mundo. Sem dúvidas, o Super Nintendo foi, um dos marcos na história dos jogos eletrônicos.

Tanto que foi relançado com uma caralhada de jogos na memória, isso fora o inédito Unholy Night nas prateleiras. E segundo o Wikipédia, no dia 30 de Agosto de 1993, o Super Nintendo era comercializado aqui no Brasil.

E SIM, volta e meia alguém chega com um Snes pra jogar algum jogo da franquia Super Mário (World ou Kart, basicamente) ou, Super Star Soccer ou Rockman X pra jogar.

Super Famicom (versão Japonesa) e o Super Nintendo (versão americana)
Super Famicom (versão Japonesa) e o Super Nintendo (versão americana)

UM POUCO SOBRE O SUPER NINTENDO


Recorte de jornal informando a chegada do Super Nintendo no mercado brasileiro
Jornal informando a chegada do Super Nintendo no mercado brasileiro - foto retirada de https://pt.wikipedia.org/wiki/Super_Nintendo_Entertainment_System#cite_note-snes_brasil-1
O Super Nintendo foi o Sucessor Oficial do Nintendo, cujo o nome é Nintendo Entertainment System (ou NES), o famoso Nintendinho 8-Bits. O nome original do Console no Japão é Famicom) e depois algumas empresas resolveram investir no Mercado com Consoles de 16 bits, tipo o Mega Drive e o TurboGrafx-16, para fazer frente contra o poder do Nintendo.

Assim iniciava a chamada 4ª Geração dos Consoles (1987-1996).

O Super Nintendo tem vários nomes, penso que seja por conta de suas várias datas de lançamento em diversos pontos do planeta. Contudo, seu nome original é Super Famicon (lembra que o Nintendo era o Famicom?!). O nome Famicom é a união de Family + Computer, ou seja o Famicom é o Computador da Família, um divertimento eletrônico pra família inteira.

E que divertimento!

O Super Nintendo no Japão e no Brasil

Lançado no Japão no finzinho de 1990 e precisou de alterações no sistema de Cores: Na Europa o sistema de cores do no Japão e Estados Unidos é NTSC, enquanto que na Europa, console obedece ao sistema PAL.

Super Nintendo - Goku e Vegeta jogando Super Nintendo
Sim, meu chapa, até os Sayajins mais fodas jogaram Super Nintendo


Já aqui no Brasil, o Console chegou apenas em agosto de 1993 pela Playtronic (em um empreendimento conjunto entre a Estrela e a Gradiente), representante da Nintendo aqui no Brasil naquela época. O investimento foi tamanho que a fabricação dos Consoles, por muitos anos, foi feita em Manaus mesmo, já atendendo o sistema de cores PAL-M.

O Super Nintendo na Era dos 32 bits

Este Console se mostrou um grande avanço tecnológico no quesito diversão eletrônica, tanto que quando o Mercado de games exigiu mais tecnologia e os Consoles migraram para os video games de 32 bits, o Super Nintendo ainda competia muito bem. Pra você ter uma ideia disso, enquanto Sega Saturn, 3DO e Playstation engatinhavam no Mercado dos Games, o Super Nintendo lançava (pela Rare Ltda.) o seu ultimo ataque: Donkey Kong Country.

CONCLUSÃO DE UM DEBATE SOBRE O SUPER NINTENDO

Quem viveu essa época, não pode negar que o Super Nintendo fez toda uma geração feliz por muitos anos e, como eu disse mais cedo, ainda há quem mantenha esse xodó muito próximo e leve na casa dos amigos pra uma e outra partida.

Toda uma geração se emocionou ao ver alguém, com muita dificuldade e rios e rios de dinheiro gastos, vencer o boxeador Balrog e encontrar o gigante Sagat (eu vivi esse momento). Toda uma geração de fãs do Rockman encontrou o sucessor X e seu irmão Zero em aventuras ainda mais futuristas. Toda uma geração ainda tem enraizada na mente aquele Riff de Top Gear.

Enfim, são tantos os motivos pra se comemorar a entrada do Super Nintendo no mercado brasileiro que sequer consigo enunciar todos sem me emocionar ou sem deixar algum de lado. Aproveite e me conte suas experiências com esse mito dos games aí nos Comentários, vamos manter esse diálogo pra trocar opiniões e saber mais da influência causada por este que é mais do que um divertimento eletrônico.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Shingeki no Kyojin 2 é confirmado para PS4 e Xbox One

Shingeki no Kyojin 2 - Confirmado lançamento de novo jogo

Eu já falei umas vezes sobre games de Singeki no Kyojin, quando do lançamento do Spin-Off chamado Lost Girls e do jogo pro Nintendo 3DS Attack on Titan: Escape from Certain Death. Agora, a franquia ganhará mais um jogo.

ANÚNCIO DE SHINGEKI NO KYOJIN 2

A Koei Tecmo (empresa japa desenvolvedora de jogos que é a fusão da Koei e Tecmo ocorrida em 2009), anunciou o lançamento de Shingeki no Kyoijn 2 ainda pro início de 2018 para o PlayStation 4 e Xbox One (terá também suporte para PS4 Pro e ao Xbox One X). O anúncio foi confirmado pela Omega Force (responsáveis pelo título anterior e outros como a franquia Dynasty Warriors).


E vai ter lançamento pro Nintendo Switch?!

Ainda não há nada confirmado, mas rola a especulação de lançamento para o Nintendo Switch.