quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Games que fizeram 30 anos em 2017

Jogos são legais pacas e isso é fato! Todo mundo já jogou, nem que seja uma vez na vida, algum game e acabou gostando, não adianta negar, nem que seja um joguinho de celular ou aquela fazendinha feliz do finado Orkut.

E SIM, eu to por dentro que você curiava a horta dos outros e também gastou uma graninha naquele treco.

Enfim, a história dos Games é bem longa e com muitas mudanças que se atrelam com a própria história da tecnologia. E desde o primeiro jogo de computador até a mais atual DLC

Street Fighter

Street Fighter Capcom DLCs 30 anos

O povo conhece melhor o Street Fighter II (lançado em 92), mas o primeiro game foi em Agoto de 87 (com Ryu de cabelo vermelho e demais lutadores sem qualquer identificação, excetuando o Sagat que pouco mudou de um Título pro outro). Até falamos das DLCs lançadas no mês de comemoração de 30 anos da franquia.

Esse a gente já comentou uma caralhada de vezes aqui no blog, inclusive, até postamos um documentário sobre os 25 anos de Street Fighter e até comemoramos o aniversário do Ryu. Poisé, quando o assunto é Street Fighter, não falta assunto.

Aliás, eu adoro jogos de porradaria, já gastei rios e rios do meu rico dinheirinho em jogos assim (meu irmão mais velhor empobreceu horrores, de dinheiro e de sanidade, jogando esse daí), mas eu gosto mais de beat’em’up, por isso...

Double Dragon


Um dos principais jogos do gênero beat’em’up (bata em tudo o que se mexe e ganhe pra isso), desenvolvido pela Technos Japan Corporation e distribuído na América do Norte e Europa pela Taito em 1987 e, durante o auge de sua popularidade,  enveredou por praticamente tudo o que você pode imaginar: jogos e remakes pra uma caralhada de plataformas diferentes, filmes, desenhos, artigos de vestuário, crossovers (inclusive aquele com o Battletoads)...

Acho que deu pra entender.

Double Dragon Technos Japan Taito


A história não tem muito mistério e é bem simples (o que parecia uma lógica na década de 80, quanto menos complexa, mais rico você ficará): Um grupo de punks genéricos sequestram a namorada dos lutadores genéricos Jimmy e Billy a socar e chutar (sim, apenas dois botões para comanadr o personagem: chute e soco) a maior quantidade possível de capangas de Willy... e puxa vida, até o nome dos caras obedecia uma simplicidade obscena. Acho que tanta simplicidade fortaleceu a fixação de estereótipos sobre tamanho dos musculos ser inversamente proporcional ao tamanho da inteligência.

E por falar em caras grandes...

Contra

Contra Arcade Game 1987
Este game começou nos fliperamas (Arcades) e é um beat’em’up só que com armas, mas aqui a temática é mais do tipo "venda sua alma por fichas", Contra é o precursor de jogos que transforma bits em testosterona. Basicamente, você usa soldados norte-americanos enviados para a Nicarágua, num cenário que parece uma mistura de filmes genéricos de Bradock e Rambo, socados em um liquidificador com pano de fundo de ficção científica.

Excetuando a parte do Bradock e Rambo, a sinopse é essa daí mesmo. E SIM, eu também fiquei surpreso.

Na verdade, ainda estou.

A jogabilidade, que variava bastante nos angulos de visão (as vezes a visão era por cima Top view, as vezes era um 3D fake nos labirintos), além da ação continua completamente desenfreada, o que fez muitos nascidos na década de 80 em cardíacos atualmente. O jogo foi bem ousado e logo trataram de migrá-lo para os consoles caseiros como o Nintendinho 8 bits.

Mas se você quer

Megaman

Megaman Rockman Capcom Blue Bomber

Megaman foi a primeira franquia da Capcom a ser lançada para consoles (também em 1987), iniciando sua carreira no Nintendinho 8 bits no início de 1987.

O blue bomber é carismático, criativo e muito bem elaborado, seus jogos tem toda uma história nos bastidores, além de muitos personagens igualmente cativantes, criativos e elaborados. Keiji Inafune, criador da arte conceitual que deu origem ao Megaman (clássico) que conhecemos atualmente, foi muito feliz em sua criação e NÃO, não falaremos de Mighty nº. 9.

Quem acompanha o blog sabe que Megaman é meu personagem favorito do mundo dos games (até falamos sobre os 30 anos de Megaman) e, particularmente, eu chamo Rockman, o nome do robozinho azul no oriente.

No mês de aniversário do nosso amado idolatrado salve salve blue bomber, a Capcom anunciou Megaman 11 para 2018.

Final Fantasy


Final Fantasy Nintendo Square
Aliás aliás de novo, acho que a franquia Final Fantasy é uma das mais rentáveis do gênero, se não for a maior. Quando da migração para o ambiente 3D com Final Fantasy VII a coisa emplaca de vez.

O primeiro jogo de Final Fantasy (os três primeiros lançados pro Nintendinho 8 bits) você pode controlar até quatro personagens diferentes (os Light Warriors), que lutam contra Demônios que escureceram as Orbes Elementais. Sua missão é reaver a luz dessas Orbes.  A Square lançou o primeiro jogo dessa grande franquia lá no final do ano de 1987, reza a lenda que o nome Final Fantasy foi escolhido, exatamente, por conta da situação delicada da Square na época (fantasia final, seria o ultimo jogo deles antes da falência).

Mas ,porém, contudo, todavia, o  sucesso pegou todos de surpresa e a franquia ta aí com força total, aliás, é considerada um dos jogos (junto com Final Fantasy II) os mais influêntes do gênero RPG e falando nisso...

PHANTASY STAR

Phantasy Star SEGA Master System

Pra ser sincero, meu primeiro RPG foi o Shining Force, mas este é um RPG que tem todo o seu charme, não apenas no que diz respeito aos clássicos RPGs, mas também encantou uma legião de fãs tupinikins. O RPG foi lançado aqui totalmente em português, além disso, Phantasy Star foi o jogo que exigiu o máximo do Master System, usando um cartucho de 4 megabits e isso, meus caros amigos, não é pra qualquer jogo.

Conta-se que, em 1986 (um ano antes do seu lançamento) a SEGA fez uma pesquisa de público sobre os gêneros mais aguardados no Japão e BAM! Os RPGs eram a resposta. O visual futurista foi a tentativa de ser o diferencial pensado pela SEGA (os demais jogos tinham temática medieval).

Conclusão sobre Games que fizeram 30 anos em 2017

Poisé, eu sei que uma caralhada de outros jogos fizeram seus trinta aninhos no ano passado, mas essa é uma lista dos jogos que mais me influenciaram (direta ou indiretamente). Caso seu jogo favorito não esteja na lista, comenta aí que, de repente, rola uma parte dois. Também peço que ajude apontando algum erro.

Espero que tenham gostado, abraço pra todos!

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Dragon Ball Super – Vegeta supera o Super Saiyajin Blue

E finalmente, o príncipe dos Saiyajins ganhou alguma coisa que é diferente do que o Goku já tem... pelo menos até agora.

Você conferiu aqui as sinopses dos episódios de Dragon Ball Super, que Vegeta teria um destaque no arranca rabo contra Jiren, o hack do Universo 11. Dessa superação, vimos algo que supera os poderes do até então insuperável Super Saiyajin Blue, dono do poder que rivaliza com os deuses.


 Que, aliás, vimos essa transformação no encerramento do episódio e penso que pouca gente notou.

Eu notei, vou nem mentir.

VEGETA NO EPISÓDIO 123

Vegeta acaba inspirado com o desejo de batalha de Goku e, durante uma tentativa de superar seus limites, o príncipe dos Saiyajins deixa claro (em seus pensamentos, claro) suas verdadeiras intenções em obter as Super Esferas do Dragão: Reviver Kiabe e o planeta Salada. Isso ajuda Vegeta a superar seus limites e alcançar uma forma "diferente" do Super Saiyajin Blue...

...que venhamos e convenhamos, não é tão diferente assim (excetuando a cor, um azul mais polido e um brilho diferente).  Os fãs já chamam a nova transformação de Super Sayajin Blue Limit Break, já que é mencionado que Vegeta "quebrou os limites" de seu poder.


Sabemos que Vegeta e Goku conseguem condensar todo o poder do Blue na luta contra Zamasu no mangá de Dragon Ball Super, mas isso acontece beeeeem antes do Torneio do Poder.  Então essa transformação é o que?

DRAGON BALL SUPER E AS DIFERENÇA DO ANIME E MANGÁ

Essa situação talvez complique a cabecinha de alguns fãs, já que a transformação (que pouco difere do Super Saiyajin Blue original) ainda não tem um nome oficial. Outra coisa que ajuda na complicação é, justamente, a falta de uma uniformidade de acontecimentos quando migra do anime para o mangá, do mangá para os filmes e destes pros games.

Tome o próprio Vegeta como exemplo: Vegeta alcança o Super Saiyajin God (vermelho) no mangá, ainda, Vegeta tem Instinto Superior (ou Ultra Instinto, tanto faz) no Dragon Ball Fighters Z, isso sem falar no Vegeta Super Saiyajin nível 3 em jogos como o Dokkan Battle pro celular e nada dessas coisas são vistas no anime.

Ainda, no mangá, Black tem o Super Saiyajin amarelo, Zamasu é derrotado por Goku e Vegeta e que Mirai Trunks não alcança o Super Saiyajin Rage do anime.

As diferenças do anime, mangá e filmes de Dragon Ball Super já foram discutidas aqui no Café com Pipoca, mas penso que, maiores detalhes veremos no decorrer da Saga.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

Knights of the Zodiaco (remake de Cavaleiros do Zodiaco na Netflix) é adiado para 2019


Knights of the Zodiac - Saint Seiya Netflix adia lançamento 2019

Pra quem não lembra, a proposta do remake de Cavaleiros do Zodiaco (Knights of the Zodiaco: Saint Seiya) é de trabalhar a Guerra Galáctica até ao arco Os Cavaleiros de Prata, no formato CG (provavelmente no estilo do anime Blame (que também é da Netflix), tendo 12 episódios de 30 minutos.

Poisé, pra quem tá pra ter um infarto no miocardio esperando a estreia de Knights of the Zodiac, exclusivo da Netflix sobre Cavaleiros do Zodiaco, infelizmente não temos boas notícias.

Saint Seiya choro

É, eu sei, mas sejamos fortes! Não é isso que Aioros esperava de nós, quando nos confiou Atena!

Knights of the Zodiac é adiado para 2019

Lembra quando apontamos que o roteirista do remake de Cavaleiros do Zodiaco indicou a data de lançamento pra 2018?! Poisé, segundo a ultima edição da revista japonesa Newtype, Knights of the Zodiac: Saint Seiya (renake entre a Netflix e a Toei Animation) estreará somente em 2019 no catalogo do streaming .

Isso é coisa do Saga de Gêmeos, só pode!

Aquele FDP.

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

Ultraman Orb: THE CHRONICLE confirmado para 2018

Cara, eu não sou muito fã da franquia Ultraman. Eu só acompanhei o Clássico (erroneamente chamado de "Hayata", o Ultrasevem e alguns filmes), mas o Ultraman Orb... Pelo amor de Ultra Father, que história fantástica. Pra ser honesto, ainda não terminei de ver, mas confesso que não dei muita moral mesmo depois do trailer.

Com efeito, a série é muito boa, com doses interessantes de humor, efeitos especiais de qualidade, os monstros tem um nível de detalhamento que deixa qualquer um espantado (apesar do padrão já característico das séries Ultra). Enfim, sei que estou devendo uma postagem só sobre Orb e pretendo me redimir.

Fora isso, falaremos sobre a já confirmada nova produção envolvendo o Universo de Orb.

Tsuburaya confirma Ultraman Orb: The Chronicle

Ultraman Orb foi lançado em 2016 pela Tsuburaya Productions com distribuição simultânea para o Brasil pelo serviço de streaming Crunchyroll e, tendo seu sucesso confirmado, ganhou um spin-off Ultraman Orb: The Origin Saga, que conta (basicamente) o desenrolar da trama antes da chegada de Orb.

Em Ultraman Orb: The Chronicle, teremos a história da série Ultraman Orb vista de uma perspectiva do protagonista, Gai Kurenai (que não é um hospedeiro de um guerreiro Ultra, mas o próprio Ultra que adotou uma forma humana).

E isso não é spoiler, a gente percebe com pouco tempo, tipo o Superman que se esconde pra se transformar.
Ultraman Orb the chronicle 2018

Voltando ao assunto, na página da nova série de Orb no Wikipédia, teremos 04 episódios:
  1. Fight! Ultraman Orb! (戦え! ウルトラマンオーブ! Tatakae! Urutoraman Ōbu!)
  2. The Sunset Wanderer: Clash! Maga-Basser (夕日の風来坊 激突! マガバッサー Yūhi no Fūraibō Gekitotsu! Maga Bassā)
  3. The King Demon Beast of Earth: Maga-Grand King's Threat! (土塊の魔王 マガグランドキングの脅威! Tsuchikure no Maō Maga Gurando Kingu no Kyōi)
  4. Monstrous Waters: Defeat Maga-Jappa! (怪獣水域 マガジャッパを倒せ! Kaijū Suiiki Maga Jappa o Taose!)

Multiverso Ultraman?!

Sim, bem antes dessa coqueluche de Universo Compartilhado que o Cinema ocidental adotou (falamos um pouco sobre isso na postagem de Girls in Trouble), Ultraman já tinha essa temática. Isso explica o fato de que o mesmo monstro aparece em várias séries dos Ultras, ou mesmo nenhum Ultraman tem ciência de que outro Ultra...

... excetuando, claro, a situação do herói. No caso de Zero (filho de Ultraseven ou mesmo o próprio Orb, que usa o poder de outros Ultras).  Ultraman Orb: THE CHRONICLE vai estrear em 6 de janeiro de 2018, com exibições todos os sábados às 9h.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Dragon Ball Super reveladas sinopses dos episódios 123, 124 e 125

Chibata vai, chibata vem e o Torneio do Poder tá se acabando. Sobraram apenas os Universos 7 e 11 em uma arena que tá só o reboco. A Androide 18 caiu ajudando seu irmão, o mitoso Androide 17 e, agora, sobraram Jiren, Toppo e Dyspo contra Goku, Vegeta, Gohan e Freeza e o Androide, além do próprio 17...

... e SIM, Hit foi mesmo eliminado.

Pelo que me consta, restam menos de 10 minutos pro Torneio acabar e esses minutos serão mais longos do que aqueles cinco minutos pra explosão de Namek na luta de Goku com Freeza em Dragon Ball Z. Afinal, já sabemos a data de encerramento do Torneio do Poder. Então, sem mais demoras, confira a seguir as sinopses dos episódio 123, 124 e o Título do episódio 125 de Dragon Ball Super.

Sinopse do episódio 123 (14/01/2018) – Poder total da mente e do corpo desencadeados!: Goku e Vegeta.

Dragon Ball Super Vegeta Ultra Instinc

“Restando somente o Universo 11 e o Universo 7, liderados por Goku, permanecem no Torneio de poder com 7 minutos restantes. Vegeta usa todo seu poder para lutar contra Jiren do Universo 11, mas Jiren não se deixa vencer. Por outro lado, Vegeta está gravemente ferido e agora está com problemas “.

Poisé, o que era um tremendo orgasmo para os fãs do Príncipe dos Sayajins, acabou por ser um coito interrompido mesmo. A sinopse já mostrou que, apesar da prévia eletrizante (e mesmo com a cofirmação de Vegeta com o Ultra Instinto), Vegeta será feito de gato e sapato de novo.

Tenho que admitir que, mesmo tentando escapar do óbvio, o fato do Vegeta ser derrotado é desconfortante pra dizer o mínimo e não por ser o Jiren, mas por mais uma derrota de Vegeta para um inimigo poderoso e de destaque.

Sinopse do episódio 124 (21/01/2018) - Ataque Atirado e Feroz!: A Última Batalha de Gohan!

Dragon Ball Super Gohan Piccolo

“Mesmo que Goku e Vegeta se juntem para atacar Jiren, eles não conseguem bater nele com apenas um único golpe (?). Jiren também parece estar aumentando ainda mais seu nível de poder. Naquele momento, Gohan do Universo 7 vem ao auxilio de Freeza para lutar contra Dyspo do Universo 11”.
Uma coisa que me impressionou um tantinho foi o fato de Freeza precisar de ajuda, ainda mais do Gohan, pra vender Dyspo (que já havia se surpreendido com o poder de Freeza. Sobre o Gohan, pode ser uma ótima oportunidade pra mostrar o potencial do garoto, que vinha sobrando no Torneio com a ajuda de Piccolo (eliminado bestamente, se me perguntarem).

Aliás, acho que foi pra isso que Dragon Ball Super trouxe Gohan de volta aos cenários de luta (se não, era melhor deixar ele lá no canto dele). Eu já tinha comentado aqui durante a saga Goku Black e o Destino de Gohan ser chato ou não.

É a reta final do Torneio do Poder, não é possivel que o Tio Akira não tenha reservado um Moment of Glory pro filho mais velho de Goku.

Título do episódio 125 (28/01/2018) “O Deus da Destruição Toppo aparece!: Sobrecargado puro poder”

Apesar da falta de sinopse pra esse episódio, já deu pra imaginar que Toppo, discípulo do Deus da Destruição do Episódio 11, ficou de fora das tretas que envolviam apenas Goku e Vegeta contra Jiren, Freeza e Gohan contra Dyspo.

Dragon Ball Super Toppo Candidato Deus da Destruição

Toppo, pra quem não lembra, é discípulo direto de Vermoud, o Deus da Destruição do Universo 11 com cara de palhaço (aproveite pra conferir todos os doze Deuses da Destruição).Durante o Torneio de Exibição ao Zeno do futuro, Toppo (que usava um manto preto e muito se especulou que era, nossa, o Bardock por baixo do manto) peitou bem o Goku Super Saiyajin Blue.

O visual de Toppo foi feito em conjunto (Akira Toriyama e Toyotaro) e, apesar de meio cômico (parece o Leoncio do Pica-pau), tem muita importância na história, mesmo não se destacando... até agora. Do que Ele será capaz?!